25 de fev de 2011

LIBERDADE E LIMITES

A Porta Misteriosa

Numa terra em guerra, havia um rei que metia medo em todos os seus súditos e rivais. Sempre que fazia algum prisioneiro, não o matava de imediato, mas levava-o a uma sala para dar-lhe uma última chance de vida. Nesta sala havia um grupo de soldados armados com arcos de flechas, de um lado, e, do outro, uma enorme porta de bronze. Esta porta era marcada com figuiras horrorosas que causavam medo.
Com um grupo de prissioneiros na sala, o rei lançava a sentença:Vocês têm duas opções:podem morrer pelas flechas ou passar por aquela porta e ser trancados para sempre.
Em anos, ninguém escolheu a porta. Ninguém ousou optar pelo desconhecido. Todos preferiram morrer pelas flechas.
Um soldado, depois da guerra, resolveu perguntar ao rei o que havia atrás daquela  porta assustadora. 
O rei mandou que ele coferisse. O soldado entrou na sala, abriu vagarosamente a portae percebeu um raio puro de sol. Abriu mais um pouco, e mais luzes clarearam o ambiente. Um gostoso cheiro de verde inundava o local.
Quando a porta estava totalmente aberta, notou que por ali todos sairiam rumo à liberdade.
Admirado, o soldado foi ao encontro do rei, que lhe disse: - Eu dava a eles a escolha, mas todos preferiram morrer a arriscar-se.

Zanon, Darlei.  Parábolas de Sabedoria. Paulus: 2005, p. 85.

Um pássaro tem o céu aberto para voar. O motorista tem um carro potente em suas mãos, mas escolhe o limite da velocidade em que vai andar. O universo é totalmente aberto para a pessoa escolher onde morar e como viver a sua vida, mas ela escolhe determinado lugar. Deus é infinito, mas escolher se manifestar no limite da nossa vida.
Liberdade e limites são inerentes à condição humana, e geram grandes tensões.Isso porque o ser humano, ainda que tenha a marca do transcendente, do divino, do infinito, se sente limitado, pequeno e insignificante. Somos pleno de amor, mas ao realizar um ato de amor, somos limitados. Por isso, usamos símbolos: um abraço, um beijo, uma flor. O símbolo também é limitado, dá margem à interpretação.
A consciência da tensão entre sermos plenos no desejo e limitados na sua manifestação faz-nos viver melhor e amplia nossa liberdade.

Liberdade e Educação

Nascemos dentro de uma cultura e de uma tradição, com pais concretos, uma família, uma cidade. Tudo isso está marcado por valores, crenças, costumes e hábitos que nos são transmitidos pela educação recebida no lar, na escola, nas igrejas, na comunidade... É algo maravilhoso, mas é também grande limite.
A mente humana é totalente aberta a possibilidades, mas viver dentro de uma cultura gera crenças limitadoras. A pessoa acaba se acostumando a obedecer ao limite traçado pelo seu grupo, mas, ao mesmo tempo, tem a marca e  o desejo da ossibilidade de viver diferente, em outro lugar e de outro geito.
A possibilidade de viver diferente gera tensão, pois implica abrir mão tudo com que se está acostumado, que é seguro, habitual. Romper o limite provoca medo, insegurança, vergonha e timidez. Poder desamarrar-se de tudo isso e novamente poder voar implica sair da zona de conforto traçado pelo limite. O grande desafio da liberdade está em como atualizar sempre de novo a vontade de viver intensamente o momento oresente e ampliar os horizontes, alcando voos ousados.

Ecoando. Formação Interativa com Catequistas. Paulus:2009, p. 18-19.

Nenhum comentário:

Postar um comentário