13 de set de 2010

TER ÉTICA É AMAR

Quem tem amor em seu coração por seu semelhante  tem Ética. Não adianta buscar um conceito celebral para a Ética, pois ela só é possível quando não pensamos apenas em nós mesmos. A senda da Ética é repleta de desafios. Não basta ter boas intenções, é preciso boa vontade e obstinação para segui-la. Faz-se mister está imbuído do sentimento certo ou todo esforço será vão. Pode-se falar muito sobre Ética. Mas uma Ética só de palavras nada significa.
A Ética é uma afirmação das ações e não das palavras. Ela é uma possibilidade humana: a de reconhecer o outro como alguém importante e de, ao mesmo tempo, reconhecer-se nele. Reconhecer o outro como importante quer dizer imputar-lhe valor. Isso se dá quando percebemos que as outras pessoas, assim como nós mesmos, temos medos, angústias, necessidades, aspirações e esperanças; quando identificamos, em outras palavras, sentimentos semelhantes aos nossos no outro. Nesse instante, descobrimos o outro como semelhante. Tomamos consciência de que ele está próximo de nós, pois tem limitações e potencialidades parecidas com as nossas. Quando vemos com clareza, passamos a nos reconhecer no outro.
Contudo, ter Ética é muito mais do que se dizer ético. Para sintetizar o que significa possuir um comportamento rigorosamente ético, é ppreciso recorrer a uma pequena frase: ter ética é amar. Ningém se tornará ético por seguir um código, um manual ou uma receita. Pois estes até podem ser reflexos da Ética, mas nunca a causa, pois a causa é o amor.  O amor desinteressado, puro penitente, generoso, leal, bondoso. Simplesmente o amor.

Emerson Barros de Aguiar. 

10 de set de 2010

PRÁXIS PEDAGÓGICA

Durante a idade Média o conhecimento religioso, ou seja, o conhecimento Teológico, era predominante. Mas a partir do século XX o quadro muda, pois a ciência e as tecnologias tornam-se dominante no processo de conhecimento e aprendizagem.
Dercates foi um dos primeiros idealizador da ruptura do conhecimento que era vigente na Idade Média. Ele contribuiu muito para a ruptura da concepção de que o homem deveria está sempre apoiado na ideologia religiosa e filosófica.
A tecnologia tem avançado muito, traz sempre muito conforto e novidades para o homem, porém junto com todos estes benefícios encontramos também os malefícios, e estes são causados pelo mau uso destas tecnologias,  que provocam, por exemplo as trágedias ambientais, as segregações na sociedade, com consequentes problemas sociais.
A visão moderna do estilo de ensino, nem sempre contempla o campo das novas tecnologias. Segundo Maria Helena Silveira Bonila "Os professores não conseguem sair do casulo em que encontram protegidos e perceber as mudanças que estão ocorrendo no mundo, dentro e fora da escola." Portanto os professores devem adaptar o seu modelo de ensino às novas tecnologias, pois muitos educadores caem na mesmice de querer viver e trabalhar no estilo tradicional de ensino, pensando que este é o melhor para o desenvolvimento  da aprendizagem do educando.
Logo, é preciso um trabalho mútuo entre os educadores e o próprio sistema de ensino, que abrange as secretarias e o governo, para que estas tecnologias cheguem às escolas, principalmente as de ensino público.

8 de set de 2010

Educação tradicional não cabe mais. Agora é a vez da Digital!

O homem é um ser que transforma o ambiente em que vive e tabém é transformado pelo mesmo. As suas ações trazem muitos benefícios que são visíveis nas tecnologias de sua idealização.Mas o importante não é apenas criar, mas usufruir do bem criado, para o seu próprio desenvolvimento, habilidade e evolução, principalmente no campo da educação.
O avião, o telefone, o automóvel, a televisão, o telescópio e o computador, foram grandes inversões dos homens, que ajudam-o a serem mais habilidosos e cumprir as suas atividades com mais eficácia. Porém as tecnologias ainda não transformaram de forma significativa aas estruturas educacionais do estilo de ensino brasileiro, por exemplo.
Atualmente percebe-se que a educação brasileira tem vários traços do modo de ensino tradicionaldas décadas de 1940 e 1950. Aguns professores, ainda hoje persistem em querer ensinar nas escolas e  universidades o modelo de ensino antigo, que é justamente aquele em que o professor fica de pé em frente aos alunos; estes por sua vez ficam mudos, sem abrirem a boca  para opinar sobre o conteúdo dado em sala. É de fato a vedadeira educação bancária criticada por Paulo Freire, acontecendo nos dias atuais. 
As tecnologias criadas, a exemplo da internet, devem está também a serviço da transformação do estilo de ensino. Para tornar-lo mais interativo e atrativo para os estudantes, precisa-se implantar e incentivar nas escolas e universidades o modelo de educação digital, que acompanha e faz parte do contexto da geraçãode estudantes atuais, pois esta geração assim como uma CPU de computador, tem a capacidade de armazenar várias informações ao mesmo tempo.
Os jovens estão sempre em busca de inovações. E eles adaptam-se facilmente com as tecnologias.Logo os professores precisam, imediatamente, abandonarem o modelo de ensino tradicional, e planejarem as aulas, tendo como objetivo uma maior interação entre alunos e professores, para que o estudante não apenas assista às aulas, mas torne-se participante ativo dela, tendo a capacidade de desenvolver um pensamento crítico das diversas realidades que o cerca.